inicio / blog

Blog

Sexualidade X Tabus

20 abr

Como podemos falar em sexualidade/sexo/masturbação sem antes não nos deparar com o grande vilão da história… O “Tabu”. Esta palavrinha, que nos vem acompanhando a há tempos, que em muitos momentos de nossas vidas – eu particularmente já me deparei com ela por diversas vezes – tem um significado bem forte – REPROVÁVEL – aquilo que não é aceito, ou melhor dizendo, aquilo que é errado fazer.

Quando criança, por diversas vezes, ocorreram situações onde fui reprimida por meus pais por algo que eu, uma criança, não via maldade em estar fazendo – você deve estar pensando “O que ela estava fazendo, de tão errado assim?” – mas posso-lhes afirmar que hoje, após muito tempo e ter estudado sobre estes tipos de comportamento digo, era normal!!!

O que era normal? Conhecer o meu próprio corpo! Tocar em locais que eram bons de serem tocados, sentir, olhar e, entender o que estava acontecendo com meu corpo conforme os anos passavam. Mas, sabe aquela história, que, quando a brincadeira esta ficando boa, sua mãe chamava você para ir para casa??? Era assim que acontecia, e não vou negar, muitas vezes tinha medo… Medo de ser pecado, de que eu iria para o inferno…, e assim ia a minha imaginação, conforme os medos iam aumentando, tudo aquilo que para mim era normal, começava a se transformar em tabus, no errado, no reprovável, e eu começava a me privar.

Por muitos anos, creio que em algumas residências, até os dias de hoje, falar em sexo é proibido, fazer então??? Nem pensar! Só depois de casado! Acredito que, muitos que vão ler este post, passaram por isso, porém, creio também que a grande maioria não sabe que a masturbação na infância, a descoberta da sexualidade na infância é normal, isso mesmo, normal. Se prestarmos atenção, por diversas vezes percebemos crianças com as mãozinhas nos órgãos genitais, aquilo para eles é normal, é a descoberta, e é neste momento, que ocorre o erro dos pais, erro que levamos para o resto de nossas vidas, vamos nos recordar sempre de que: não pode, é sujo, é fedido, papai do céu não gosta, não pode por as mãos ai… inúmeras sentenças para um ato natural, acarretando problemas psicológicos e muitas vezes disfunções sexuais , para o resto de nossas vidas.

Se conhecer, colocar o espelho para ver melhor, olhar, tocar, sentir gostos e sensações é algo normal, que tem que ser vivenciado, como você pode ter prazer se não sabe como senti-lo??? Impossível. Basta perguntar para as pessoas mais velhas o que é orgasmo? Se já sentiram?. Afirmo que uma grande maioria nunca sentiu…

Certa vez ouvi uma senhora de aproximadamente 60 anos dizer: “Quando tenho relação com meu marido é horrível, parece um ferro entrando e rasgando tudo…”, fiquei triste com a situação, porque esta pessoa passou, a vida inteira, tendo relação apenas para satisfazer o outro, com dores (Dispareunia) e nenhum prazer, contrações involuntárias (Vaginismo), triste isso não é? É realmente inaceitável!!!

Creio que ainda há tempo, de mostrar que conhecer o seu corpo não é pecado, afinal ele é seu, se masturbar também não é, temos que conhecer os lugares onde gostamos de ser tocados e estimulados, e, se para o homem a masturbação e a descoberta da sexualidade é motivo para festa, vamos festejar a nossa também, queimar os tabus, vamos explorar, usar e abusar de instrumentos que nos dão prazer – vibradores, géis, lubrificantes. Inove, renove, use e abuse. A sós vocês podem tudo!!!


mm
Marcela Gonçalves

Formada em Design Gráfico e pós graduada em Gestão Estratégica da Comunicação. Responsável pelo desenvolvimento do site, material de divulgação e redes sociais da A Sós.

Email Facebook

Veja também

Comentários


Receba novidades por email